quinta-feira, 22 de setembro de 2016

Postagem José Eduardo - Paralimpíadas



Seguem abaixo as minhas considerações sobre o que eu vi num fim de semana no parque olímpico-paralímpico.

ACOMODAÇÕES NO RIO

Fiquei hospedado no IBIS Nova América. Esse hotel fica na Barra da Tijuca e junto com o Shopping Nova América.

Talvez por estar numa área de muito movimento e comércio, o acesso às pessoas com necessidades especiais era muito boa e bem sinalizada, no chão havia aquelas faixas de indicação para deficientes visuais e toas as calçadas com rampas para acesso de cadeirantes.

No hotel, elevadores e portas de tamanho permitido para cadeiras de rodas e acesso aos ambientes possíveis.

TRANSPORTE

Acredito que esse foi um dos pontos negativos. Muito poucos taxis e VANS com acesso a pessoas com necessidades especiais.

Segundo os taxistas menos de 5% dos taxis tem condições de levar cadeirantes.

Os BRT’s também tinham acessos a cadeirantes, mas, os espaços não eram respeitados e eram em pouca quantidade.

NO PARQUE OLÍMPICO



O acesso ao Parque Olímpico era um pouco complicado, visto que taxis e até mesmo o BRT, deixavam as pessoas a uma distância razoável do parque e o caminho era muito ruim para pessoas com necessidades especiais, mas, quando a gente entra no Parque, as coisas mudam de figura.



Todas as arenas tinham acesso por rampas ou escadas. Muita gente para orientar, conduzir e auxiliar as pessoas com necessidades.

Dentro das arenas muitos lugares para cadeirantes, com boa visibilidade para os jogos.

O parque era parcialmente plano e com bons espaços para locomoção.



Uma coisa que me marcou muito foi a limpeza no local e muitas, mas, muitas lixeiras para material reciclável e não reciclável.



Como o parque é muito grande, haviam muitos carrinhos para levar idosos e quem precisasse de uma arena a outra.

Dentro das arenas muita gente orientando e bastante organizado. Não havia lugares marcados dentro das arenas.



A saída foi muito organizada e de fácil acesso ao transporte público e táxis.



O sentimento de superação fica muito mais evidente nos paratletas. E o reconhecimento do público é maior. Não existe torcida adversária. Você torce para o atleta do seu país, mas, após a disputa, todos são aplaudidos e ovacionados quando passam em frente as torcidas. Nessa hora não existe bandeira. 


Espero ter te ajudado.

Ajudou muito, meu amigo José Eduardo, muito obrigado!

Nenhum comentário:

Postar um comentário